Saturday, May 13, 2006

Onda de ataques do PCC em São Paulo



Ao menos 14 pessoas --entre eles policiais militares, civis, guardas civis-- foram assassinadas em São Paulo entre a noite de sexta-feira (12) e a madrugada deste sábado. A série de ataques seria uma resposta do PCC (Primeiro Comando da Capital) à decisão do governo do Estado de isolar líderes da facção criminosa.

Levantamento preliminar aponta que as vítimas são seis policiais civis, quatro policiais militares, dois guardas civis metropolitanos, um agente penitenciário e a namorada de um policial. Ao menos outras 15 pessoas ficaram feridas. Alguns suspeitos foram mortos em confrontos e outros acabaram detidos.

As ações ocorreram em diversas regiões da cidade e em alguns municípios do litoral e interior do Estado. Os ataques começaram horas após a transferência de líderes do PCC para uma unidade em Presidente Venceslau (620 km a oeste de São Paulo) e para a sede do Deic (Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado), da Polícia Civil, em Santana (zona norte de São Paulo). Os policiais estariam investigando o planejamento de uma onda de crimes e rebeliões.
Entre os presos levados para o Deic estava Marcos Willians Herba Camacho, o Marcola, líder da facção. Os oito integrantes do PCC que estavam na unidade foram transferidos por volta das 8h30 deste sábado.

Leia artigo completo

1 Comments:

Blogger Marco Aurélio said...

Wander

O PCC vai acabar virando um partido político (Partido do Crime Compensador) Só na brincadeira mesmo! Que absurdo. Você conhece Fractais?

Um abraço

2:19 PM  

Post a Comment

<< Home